O poeta e prêmio Nobel de Literarura, o chileno Pablo Neruda escreveu um dia: “Por que as folhas se suicidam quando se sentem amarelas?”

Talvez a resposta esteja na arte de Fred Gelli, designer carioca que trabalha com propostas voltadas à sustentabilidade e foi o responsável pela logomarca das Olimpíadas de 2016 que acontecerão no Rio de Janeiro. E Tom Lisboa, artista visual curitibano que há muitos anos trabalha fazendo intervenções urbanas em Curitiba. Pessoas sensíveis que colocam seus talentos à serviço da criatividade. Ambos viram muita poesia nas folhas suicidas de Neruda. Tornaram-se as bases para uma nova mídia.


Fredi Gelli propôs “santinhos” impressos a laser para a campanha do deputado federal Fernando Gabeira à prefeitura do Rio de Janeiro. Tom Lisboa nos passa seus “bilhetes amarelos” na forma divertida e nostálgica dos balões de gás pelos parques de Curitiba. Vale a pena conhecer mais o trabalho deles.

Depois é curtir o outono e a música “Folhas Mortas” em duas de tantas versões. Em francês “Les Feuilles Mortes” na voz do cantor e ator francês Yves Montand e, em alemão, “Welke Blätter” na voz da cantora Marie Biermann (filha do ativista alemão Wolf Biermann).