Não é novidade que as flores fascinam pelas cores, formas e cheiros! Mas ao comprar um arranjo nem imaginamos que há um imenso mercado e uma organização digna de multinacionais envolvidas nos negócios mais lucrativos do mundo. A cidade brasileira das flores é Holambra no interior de São Paulo, é lá que acontecem os maiores eventos do setor e de onde são distribuídas orquídeas, tulipas, rosas e outras espécies para todo o Brasil.

A convite da Agapanthus Floricultura, a equipe da Sorttie esteve em Holambra e se deslumbrou com a cidade (onde não faltam nem os moinhos, nem as tulipas e nem os holandeses) e com um mundo de flores chamado Veiling Holambra. Uma gigantesca e super organizada cooperativa instalada em uma área de 80 hectares e uma construção que já passa de 79 mil m² que detém hoje quase 45% do mercado atacadista de flores e plantas ornamentais.

Parte do fascinante estoque de mercadoria na Cooperativa Veiling

Tanto a estrutura, quanto a mercadoria fazem qualquer visitante de primeira viagem se encantar. É quase inacreditável. Há 4.568 m² de câmaras frias para abrigar tulipas, rosas e outras espécies que precisam ser conservadas no frio, rampas de carga e descarga, docas para cada cliente receber seu pedido e acomodar com conforto e cuidado nos caminhões de transporte, carrinhos elétricos circulando o tempo inteiro (mais parecendo trenzinhos) carregados de caixas de flores e plantas.

Através de extensas passarelas suspensas é possível observar todo o funcionamento e se sentir caminhando sobre um mundo verde e colorido. E nunca é um programa solitário, já que cerca de duas mil pessoas circulam diariamente pela cooperativa.

Dentro do Veiling há ainda uma tribuna moderna, com três kloks, para realização de leilões simultâneos. O sistema de leilão importado da Holanda é reverso, começa no preço maior e vai caindo lance a lance. A grande vantagem é a comercialização de grande quantidade de flores em pouco tempo. Os relógios (kloks) comercializam três lotes em aproximadamente 1,5 segundos”, conta Maurício Sorgenfrei, proprietário da Agapanthus Floricultura. A cooperativa vende ainda através de intermediação (venda direta) e contratos que estabelecem compras semanais com certa regularidade de valores.

Tribuna onde acontecem os leilões

O Veiling tem cerca de 300 cooperados e é hoje o maior centro comercial da América Latina e único no gênero. A estrutura que conhecemos foi inaugurada em 2009 para suprir as necessidades logísticas e comerciais da cadeia de flores e plantas, mas a história é bem mais antiga, de 1948. Foi no ano em que inauguraram esta nova sede que cessaram as operações de exportação para focar no mercado brasileiro com crescimento estimado em torno de 12% ao ano e movimentação de cerca de quatro bilhões de reais anuais de acordo com dados da Câmara Setorial, órgão ligado ao Ministério da Agricultura.

Vale a pena conhecer!