mulheres olhando No mundo conectado, muitas pessoas assistem novela, telejornal, seriados em frente aos seus celulares e tablets. Uma pesquisa realizada em 2011, por professores do Boston College estudou o comportamento das pessoas que utilizam concomitantemente a televisão e computador para observar como nos comportamos diante destas mídias. Os resultados mostram que a tv prende mais o olhar do espectador, mas a internet chama primeiro sua atenção.

Para chegar a esta conclusão, foram utilizadas duas câmeras filmando 42 estudantes que viam tv e utilizavam laptop para observar frame a frame o quão interessante, excitante, informativo, educativo e de apelo visual são os conteúdos da tv e da web. A coleta teve duração de 45 minutos e os participantes tinham em média 33 anos.

Segundo dados da pesquisa, as pessoas fazem, em média, quatro trocas de olhar (entre tv e web) por minuto. São cerca de 120 trocas em 27,5 minutos! Uma atitude comum entre os jovens com menos de 18 anos, por isso, a importância de se estudar novas mídias.

Nos Estados Unidos, 59% dos americanos veem tv e usam internet ao mesmo tempo. Muito do nosso consumo de mídia é habitual, automático e de natureza não-consciente. Daí a maior parte dos participantes subestimarem suas quantidades de trocas de atenção, dizendo que fizeram menos trocas do que realmente foram observadas.

Tal pesquisa nos faz refletir sobre quais os tipos de conteúdo apresentado na tv e na web são capazes de ser retidos na memória do consumidor/telespectador. Como as pessoas estão se comportando em frente as telas? Será que elas estão inclinadas à distração?

Para os pesquisadores ainda existem várias dúvidas sobre a atenção que as pessoas multitarefas dispendem em diferentes mídias. Será que um programa favorito é capaz de reter mais a atenção do que um programa qualquer? Durante as trocas, navegam com mais frequência em sites, blogs ou redes sociais? Em situações de trabalho ou lazer, esse comportamento sofre alguma alteração? Estas são apenas algumas das questões que a realidade dos consumidores multitarefas nos fazem refletir.

Fonte: BRASEL e GIPS, 2011 “Media Multitasking Behavior: Concurrent Television and Computer Usage”.